+55 11 3758.5870 - 55 11 9.9961.8727

Artigos

Segmento de perfumes personalizados cresce no mundo todo

compartilhar facebook Twitter
As fragrâncias sob medida, ou melhor, perfumes personalizados, são produzidos por perfumistas de renome, bastante requisitados na Europa e EUA. Nomes como Joanne Bassett, Lyn Harris, Laurice Rahme, os laboratórios L´Art Olfactif e Fueguia, além do francês Nicolas de Barry, são disputados por uma grande clientela. Cada um dos especialistas segue um método próprio para desenvolver suas fragrâncias personalizadas e, com isto vem atraindo uma clientela, que cresce a cada ano, em busca de combinações únicas e aromas exclusivos.
 
Barry, por exemplo, comprou o Castelo de Frileuse, na região de Blois, no Vale do Loire (França), para hospedar seus clientes e dar-lhes tempo para conhecer e experimentar as diferentes famílias de perfumes e óleos essenciais de suas fragrâncias 100% naturais. Já o laboratório de Fueguia, na Patagônia Argentina, o cliente vai à empresa para experimentar e escolher suas preferidas entre 124 notas. Radicada nos Estados Unidos, a francesa Laurice Rahme também customiza suas fragrâncias de acordo com cada cliente. Basta ir a uma das lojas da marca Bond nº 9, fundada por ela e com unidades em Nova York, Londres, Dubai, Russia, Japão, Paris e Canadá. Na brasileira L’Art Olfactif, criada por dois franceses, o cliente pode encomendar criações pessoais com base em algumas variações olfativas pré-existentes. Também na Califórnia, produzir “sua essência” é a proposta de JoAnne Bassett, que defende a perfumaria botânica em perfumes customizados, inclusive para presentes. O cliente escolhe as notas em uma cartela com essências base, médias e tops, e vai criando junto à perfumista os blends que melhor traduzem sua personalidade.
 
No Brasil, a importadora de florais de Bach, Mona’s Flower, já desenvolvia há 4 anos linhas próprias de aromas terapêuticos e funcionais, associando florais de Bach a óleos essenciais 100% puros. Mas, o sonho de desenvolver perfumes 100% customizados para cada cliente, foi concretizado em 2016, depois da empresa fazer pesquisas, que identificaram não haver no mercado nacional, muitas opções de fragrâncias personalizadas. Mas o impulso maior aconteceu numa viagem a Capri, na Itália, onde a diretora Marcia Rissato conheceu uma lojinha, que fazia perfumes de acordo com os desejos e personalidade dos clientes. Ela trouxe a ideia para o Brasil e criou na empresa, um núcleo próprio de desenvolvimento de perfumes personalizados e terapêuticos.
 
Contudo, diferente da loja visitada em Capri, os perfumes criados sob medida pela Monas, não são fruto de misturas de fragrâncias já prontas, onde o processo é feito na hora, e as fórmulas esquecidas em seguida. A empresa faz um briefing do cliente ou da história que o perfume representará, para definir todos os elementos que serão usados, arquivando depois as formulas. O processo começa com um minucioso questionário, respondido pelo cliente, uma espécie de “raio x emocional”, que indicará quais aromas, eau de parfum e florais de Bach indicados para cada pessoa. Ainda, para a qualidade do produto final, a marca desenvolveu uma técnica, que protege as moléculas do óleo essencial e do floral.
 
Os produtos logo se tornaram sucesso na empresa e uma das primeiras encomendas, foi a criação do perfume inspirado nos 50 anos de carreira da cantora Maria Bethânia. “Com o mix de aromas de lavanda inglesa e âmbar, o perfume foi inspirado na beleza e força da carreira da cantora, repleta de romantismo e momentos marcantes”, explica a perfumista Samanta Alves, da Mona’s, que desenvolveu os aromas da fragrância.
 
Segundo a perfumista, não há limite de quantidade de florais e óleos essenciais por perfume; ao contrário, são indicadas combinações adequadas para cada pessoa, que pode também participar das escolhas. “Para a experiência ser ainda mais personalizada e exclusiva, o nome da pessoa é gravado na caixa e no frasco”, explica a terapeuta floral Marcia Rissato, formada em terapias florais pela Nelsons World, na Inglaterra, e sócia da marca.
 
Mais do que um simples perfume, as fórmulas são também funcionais e terapêuticas, com propriedades de harmonizar sentimentos, condições e sensações de bem- estar, alegria e tranquilidade. Como o processo é feito em muitos detalhes, o perfume pode levar de dois a seis meses para atingir o resultado final, com custo inicial de R$2.000 reais, e os próximos frascos, em torno de R$500,00. “Além de perfumes, a marca investirá em 2017, em extensões das linhas personalizadas com hidratantes, sabonetes, loção pós-barba e outros produtos corporais com a mesma fórmula”, garante Marcia Rissato.
 
Fonte: Cosmetic Innovation

He went on to produce his own watches a few years later, and replica watches the Rolex name came about in 1908. In about 1920 he moved to Bienne, Switzerland to open Montres Rolex S.A., which is when everything really begun. Just six years later the brand's hallmark product family would be released. One thing is notably absent from the 1926 Rolex Oyster replica watches. The trademark crown logo is missing. Rolex didn't come up with the crown logo until the early 1930s, but you can see that on one of the pieces the Rolex name was presented in the same font and style that it is in today. You'll also notice the replica watches uk fluted bezel, which is also a hallmark of Rolex design on today's Datejust and Day-Date models (among others) This was part of replica watches the patented water-resistance system employed in the Rolex Oyster. Hermetically sealed, the Rolex Oyster was innovative not just for being able to be taken into the water, but for resisting a range of replica watches sale liquids and particles such as dust from entering the case.