+55 11 3758.5870 - 55 11 9.9961.8727

Artigos

Criteo aponta que 79% dos consumidores brasileiros são omnishoppers

compartilhar facebook Twitter
Segundo estudo, a maioria dos compradores tem o primeiro contato com o produto na loja física, mas conclui a aquisição no ambiente online.
 
O omnishopping é um fenômeno global e, no Brasil, já é praticamente onipresente. É o que revela o estudo The Shopper Story 2017, da Criteo, empresa líder em tecnologia para commerce marketing. O relatório mostra que 79% dos brasileiros são omnishoppers e utilizam uma variedade de dispositivos, canais e plataformas para navegar e comprar.
 
A maioria dos brasileiros adota o showrooming, quando o cliente tem o primeiro contato com o produto na loja física, mas compra online. Segundo a pesquisa, 64% dos consumidores percorrem esse caminho ocasionalmente e 29% o fazem com frequência. No sentido contrário, 62% dos brasileiros aderem eventualmente ao webrooming, pesquisando pela Internet e comprando no varejo tradicional. Os que fazem isso regularmente somam 20%.
 
Quando comparados a compradores que ainda não adotam um comportamento multicanal, os omnishoppers gastam em média 7% a mais no ambiente online e 44% a mais no varejo tradicional. Globalmente, mais de três quartos dos consumidores já estão engajados no omnichannel.
 
“Com a popularização dos smartphones, os consumidores passaram a ter liberdade para buscar informações sobre produtos e comprar online de qualquer lugar, inclusive de dentro da loja física do varejista. Dessa forma, a decisão de onde, quando e como comprar depende de diversos elementos, como comodidade, facilidade e, claro, preço. É por isso que uma estratégia de marketing bem sucedida precisa focar no cliente e não no canal de vendas ou dispositivo. As empresas que têm essa compreensão certamente saem na frente num mercado cada vez mais competitivo”, explica Alessander Firmino, diretor geral da Criteo para o Brasil e América Latina.
 
Mais descobertas:
 
Digital direciona a conversão
 
Com o mobile cada vez mais presente na vida cotidiana, o ambiente online é agora um ponto crítico para a decisão de compra.  Para quase metade de todos os omnishoppers, websites e apps são a última influência para efetivar a aquisição. Além disso, 54% dos brasileiros afirmam já terem comprado no site do varejista utilizando o smartphone, enquanto estavam dentro da loja física desse mesmo varejista.
 
Sites de varejo como ponto de partida
 
No Brasil, 68% dos consumidores que já tem um tipo de item em mente iniciam a pesquisa em sites e não em mecanismos de busca. Entre aqueles que sabem exatamente o que querem este índice é ainda maior: 73%. Mesmo os que não procuram por um produto específico tendem a começar a jornada desta forma, com 51% afirmando entrarem  primeiro no site do varejista.
 
Consciência digital
 
A televisão e outras formas de publicidade off-line não são mais geradoras de consciência de marca para os omnishoppers. Ao invés disso, sites e aplicativos desempenham esta função globalmente.
 
Os sites e apps de varejo estão mais influentes que nunca
 
Para aproximadamente 50% dos consumidores, os sites e apps de varejo são mais influentes no processo de compra do que o boca a boca, os mecanismos de busca ou mesmo as redes sociais. Pessoas que iniciam sua jornada em sites de varejo também apresentam maior intenção de compra.
 
Compras por impulso
 
Os consumidores são tão propensos a comprar por impulso no ambiente online como são nas lojas físicas. No Brasil, as categorias mais compradas pela Internet, nesses casos, são: Vestuário (83%), Brinquedos & Games (78%), Beleza & Sáude (67%), Produtos para Casa (66%) e Eletrônicos (62%).
 
Consumidores reconhecem e entendem o valor do Retargeting
 
Em relação a abordagem, 56% dos omnishoppers brasileiros gostam de receber anúncios de retargeting, especialmente quando há a possibilidade de obter descontos maiores para os produtos que pretendem comprar. Já 29% gostam deste tipo de comunicação porque funcionam como um lembrete dos itens que estão considerando adquirir.
 
Metodologia
 
O estudo Shopper Story 2017 foi supervisionado por um pesquisador independente e conduzido usando o painel global da Research Now, com 10 mil consumidores de idades entre 16 e 65 anos nos EUA, Japão, Reino Unido, Alemanha, França e Brasil. Todos os participantes são consumidores multicanal que navegam online diariamente e possuem um smartphone.
 
Fonte: Cosmetic Innovation

He went on to produce his own watches a few years later, and replica watches the Rolex name came about in 1908. In about 1920 he moved to Bienne, Switzerland to open Montres Rolex S.A., which is when everything really begun. Just six years later the brand's hallmark product family would be released. One thing is notably absent from the 1926 Rolex Oyster replica watches. The trademark crown logo is missing. Rolex didn't come up with the crown logo until the early 1930s, but you can see that on one of the pieces the Rolex name was presented in the same font and style that it is in today. You'll also notice the replica watches uk fluted bezel, which is also a hallmark of Rolex design on today's Datejust and Day-Date models (among others) This was part of replica watches the patented water-resistance system employed in the Rolex Oyster. Hermetically sealed, the Rolex Oyster was innovative not just for being able to be taken into the water, but for resisting a range of replica watches sale liquids and particles such as dust from entering the case.